julho 13, 2012

CASAMENTO É DIFÍCIL MESMO

Malditos sejam todos os psicólogos que escrevem para a revista Caras. Ô, maniazinha de fazerem os outros se sentirem mal!

Ali, eu já li a respeito da importância da cerimônia de casamento, para que o homem leve a sério a relação. Sério??? Quem casou na igreja ou no civil não chifra, não sacaneia, não deixa de lavar a louça, nem joga toalha molhada na cama?? Really? Não é o que ouço de amigas casadas...

 Já li sobre a comunicação ampla e irrestrita que deve haver entre os casais. Eu quero saber quem é que consegue conversar sobre tudo o tempo todo com o parceiro. Sem nunca esconder absolutamente nada. "Gato, o sexo foi insuportável ontem, tá? Estava pensando na Avenida Brasil, de tão entendiada".  "Amor, tive uma caganeira fenomenal agora, meu cú quase explodiu". Ou então, "querida, queria te dizer que, em nome da nossa comunicação ampla e irrestrita, e a sinceridade que deve haver entre nós, que sua mãe é uma víbora excrota e espero que ela morra atacada por cães selvagens raivosos, tá, xuxu?". Qualé!

E, a melhor de todas: "é importante manter acesa a paixão".

Agora me digam, quem é que, em sã consciência, com trabalho e responsabilidades diárias, consegue viver de tesão e paixão, depois de anos juntos? E com filhos na jogada??? Quem é que aguenta ou consegue ficar um dia inteiro deitado juntos, transando, pedindo comida chinesa para não sair de casa e transando de novo, sentindo saudade porque o outro foi ao banheiro? Aliás, foi ao banheiro só escovar o dente, porque na paixão ninguém peida, caga ou mija.

Isso é coisa para início de namoro, minha gente! Paixão só é paixão porque é efêmera! Senão, ninguém trabalha, estuda ou cria os filhos.

No final das contas, eu cansei de me sentir mal por causa desses artigos, pois, a grande verdade, é que só a gente sabe da própria relação. E olhe lá, pois, vira e mexe, temos períodos de 'levar com a barriga' porque é o que dá para fazer naquele momento! Portanto, e digo isso principalmente para as mulheres, que são realmente muito suscetíveis a receitas mágicas para consertar a relação - até quando ela não está quebrada - muita atenção com as manias de 'resolver' tudo através de condutas 'ideais'. Mulher tem mania, por exemplo, de dizer que não perdoa chifre. Aí, o cara dá uma escorregada - e antes que me chamem de machista um psicólogo da Caras disse que as mulheres chifram mais e com menos culpa. rá! - a mina termina para não fazer feio perante as amigas, e ainda fica sofrendo porque gosta do ex apesar de tudo.

Vamos abandonar as fórmulas mágicas e aceitar que casamento é difícil mesmo? Também não é para ser um massacre. Uma coisa é ter consciência dos altos e baixos, outra, é estar miserável o tempo inteiro na relação. Mas dá para gente amadurecer e tentar encarar as relações com um pouquinho de tolerância e racionalidade, né?

Ok, agora me deem licença que vou brigar com o dito cujo porque a gente só é 'juntado', não conversamos sobre cada detalhe de nossas vidas, e não mantemos a paixão acesa, porque perdemos nosso tempo criando duas filhas e pagando contas. ;-)