julho 15, 2008

SEXO NO PRIMEIRO ENCONTRO

Eita que esse novo milênio não se livrou de velhos tabus, né mermo? Descobri esse fim de semana, por exemplo, que sexo na primeira ficada continua sendo algo polêmico. Alguns são a favor, outros, contra, mas todo mundo tem algum tipo de insegurança com relação ao tema. Seja por se submeterem à pressão social ou por tentarem não se submeter a ela, homens e mulheres vivem cheios de dúvidas com relação a isso. Então, a pergunta de hoje é: DAR OU NÃO DAR (DE PRIMEIRA)? EIS A QUESTÃO!

Qualquer mulher da geração oitentista já sabe de cor e salteado as palavras da maldição do sexo no primeiro encontro: “aquela que ceder às tentações do sexo, logo no primeiro encontro, jamais será considerada “mulher para casar””.

Nossas avós conseguiram imprimir em nossos cérebros umas regrinhas bem antigas, e por mais que tenhamos quebrado tabus e padrões sociais, a confusão comportamental ainda nos aflige.

A coisa que mais vejo é insegurança mesmo: mulher que deu, porque tava louca para dar, mas depois se consumiu em vergonha, medo e ressaca moral. Ou, então, caras idiotas alegando que são modernos e tranqüilos, xingando mulheres de vagabunda e piranha simplesmente porque elas tomaram a estúpida decisão de irem para cama com eles logo na primeira saída. Mulher que soca a libido no fundo do baú para se segurar por, no mínimo, três encontros. Caras que ficam constrangidos de tentarem ir pra cama com a mulher de cara, porque acham que, assim, ela vai achar que eles não querem namorar. Enfim, categorias mil.

Tabus e confusões emocionais são uma combinação milenar, mas não se iludam: a força do tabu não deve ser menosprezada. Afinal de contas, a maioria – tanto de homens quanto de mulheres – sente o peso do padrão social e se (es)forçam a obedecer as regras. As mulheres fazem isso reprimindo seu desejo ou, em caso de cederem à tentação, se martirizando posteriormente, como se pedissem desculpas à sociedade. Os homens caem no padrão se impedindo de namorarem ou, pelo menos, conhecerem de verdade as mulheres que ‘pegaram fácil’ ou carregando a culpa de sentirem tesão por uma ‘boa moça’ e tentarem levá-la pra cama de primeira.

Tanto para homens quanto para as mulheres, o peso das regras traz conseqüências bastante negativas. E é aqui que deve entrar a força do novo milênio: ninguém deve fazer o que não quer e ninguém deve pedir desculpas por ter feito o que quis. A verdadeira regra é que não há regras. Se uma mulher se sente à vontade para dar no primeiro encontro, problema dela. Se outra, entretanto, prefere esperar, problema dela também. Temos é que parar de achar que o ‘Olho de Sauron, que tudo vê’ dessa nossa sociedade bagunçada está nos vigiando o tempo todo. Tudo bem, através da fofoca e da maldade, esse ‘Olho’, muitas vezes, até que funciona. Porém, precisamos lutar contra isso, e a melhor forma de fazê-lo é respeitando a própria vontade e enfrentando todas as conseqüências de nossas escolhas.

Assim, meninos e meninas, tentem se colocar na posição do outro. É desse jeito que entendemos que a grama do vizinho nem sempre é mais verde. E, lembrem-se, nada de julgar o coleguinha!

3 comentários:

Natasha Passos disse...

ADOREIIIIIIIIIIIIIIII
^^
tanto q copiei e colei no meu...
logico q com os creditos pra vc!!
kkkkkkkkkkk
bjuuuuuuuuu

Pedro Bob disse...

ADOREIIIIIIIIIIIIIIII
^^
tanto q copiei e colei no meu...
logico q eu não citei vc e disse q fui eu q escrevi!
hahahahahahaha

renata! disse...

sei lá, não gosto de sexo no primeiro encontro.
não acho legal.

mas sei lá.
:*