abril 06, 2006

QUEM ANDA ERRANDO NOS RELACIONAMENTOS: NÓS OU ELES?

Mesmo com todo o drama provocado pelos dois lados, mesmo com as brigas e desentendimentos por parte dos dois lados, os desencontros, as dúvidas e mesmo com tooooodas aquelas diferenças, não tem jeito: homens e mulheres ainda se apaixonam e ainda tentam se relacionar.

Ah, o amor é realmente lindo. Quer dizer, a paixão inicial de cada relacionamento é que é realmente linda. Tudo que se fala é poesia, tudo o que se ouve é elogio, as diferenças são motivadoras, não há problemas, não há rancor, só paixonite, só “love”. Aaaaaah, que delícia!

Aí, em meio a essa cegueira da paixão, em meio a essa mistura de emoções e tesão que nos faz sentir tão vivos, o que fazemos? Nós levamos o relacionamento a “um outro nível”. É o nível do compromisso, do respeito, da admiração, da convivência, é o nível do “amor verdadeiro”. Agora, pára tudo, pára tudo e tenta visualizar esse ponto. Esse ponto quando as coisas vão ficando “mais sérias”. Conseguiu visualizar? Pois é aí, é bem aí, meu amigo e minha amiga, é bem aí que lascamos tudo!

Tanto o homem quanto a mulher começam, nesse ponto, a mostrar suas características cuuuulturais, “zenéticas”, fi-si-o-lógicas e fi-lo-sóficas mais profundas. E assim, as reclamações começam. É falta de compromisso de um lado e excesso de apego do outro. É futebol com os amigos de um lado e TPM do outro. É “eu não gosto da sua mãe” de um lado e “acho que papai não foi com sua cara” do outro. E assim vamos levando nossos relacionamentos à beira da neurose e da psicose por conta de um motivo aparentemente muito simples: homens e mulheres não conseguem se entender. E eu pergunto: quem é que está errado nessa história?

Se adentrarmos em alguma das várias espécies de universo feminino, seja um grupo de patricinhas lago sulistas ou um grupo de góticas radicais da UnB, vamos encontrar uma resposta a esse impasse rapidinho: A CULPA É DELES. “Eles não querem levar o namoro a sério”, “eles nos deixam inseguras”, “eles não sabem nos valorizar”, “eles nos largam para sair com amigos”, “eles isso”, “eles aquilo”, sem contar com a tortura constante da ameaça do possível chifre a cada esquina.

Por outro lado, se adentrarmos em alguma das raras variedades de universo masculino – sim, raras variedades, porque os estilos podem até mudar, mas a essência “sexo + futebol + cerveja = vida” permanece a mesma em todos os grupos – veremos que eles também têm uma resposta na ponta da língua: A CULPA É DELAS. “Elas querem levar o namoro muito a sério”, “elas ficam inseguras e descontam na gente”, “elas não valorizam as coisas que fazemos por elas”, “elas nos enlouquecem com a TPM todo mês”, “elas nos impedem de ter contato com amigos”, “elas isso”, “elas aquilo”, “sem contar que elas acham constantemente que vamos chifrá-las e isso dá mais vontade ainda de ficar com outras”.

E o que mais me impressiona nessa história toda é que ambos os lados agem de forma radical e se recusam ou não conseguem se colocar na posição do outro. E, assim, acaba não havendo um critério lógico que nos permita afirmar se o erro é de um ou do outro. Afinal, se ao passo que os homens, em sua maioria, não se apegam emocionalmente tanto quanto as mulheres - e, sim, isso é uma generalização necessária, porque senão vou ter que largar tudo e fazer uma dissertação de mestrado sobre “os homens sensíveis ainda existem” -, quem foi que disse que nós estamos certas em ter tantas expectativas, em desejar tanto um parceiro, em nos envolver tanto?

Da mesma forma que eles não podem afirmar que o ciúme feminino é pura insegurança, se eles não conseguem admitir que a “amiguinha de infância” deles agora tem peito, bunda, perdeu a virgindade e é capaz de te meter um par de chifres só para provar que ela é mais poderosa que você.

Portanto, da minha parte, infelizmente, não será apresentada uma resposta à pergunta do título. Afinal, se eu soubesse de verdade quem está errando, eu já teria ganhado muito dinheiro, pois, como eu disse, apesar de todo o drama e de tooooodas as diferenças, não tem jeito: homens e mulheres ainda se apaixonam e ainda tentam se relacionar.

3 comentários:

coisativa disse...

Claro q vcs estao erradas e nós estamos certos.
É a ordem natural das coisas e vai ser sempre assim ahuahua :P

Barreto disse...

Quanta complicação. Acho que a vida a dois pode ser um pouco mais simples, basta que ela tenha sido fundada no seu principal elemento, o amor.

Jones disse...

HAUhauhuhAUhA... Moço, você está sendo simplista demais.