agosto 17, 2005

JOGUINHOS DE SEDUÇÃO

Em um de meus devaneios a respeito do comportamento feminino, me deparei com uma constatação deveras chocante. Praticamente todas as mulheres que conheci na vida, fossem elas feias ou lindas, arrumadas ou relaxadas, econômicas ou esbanjadoras, yuppies ou hippies, já rejeitaram alguém por ter sido “disponível demais”.

Até eu, euzinha, na época de adolescente gorducha e depressiva, no aaauge da solteríce – para não dizer solidão – já mandei pastar um cara porque ele me ligava demais, e ficava no meu pé demaais, e grudava demaaais.

Mas, parando para analisar, percebi que, ao mesmo tempo, nós – mulheres – quando já dentro de um relacionamento gostamos dessa disponibilidade excessiva, dessa compreensão infinita. É estranhérrimo: depois que o namoro começa, queremos os telefonemas, o grude, a pegada no pé! Mas até lá, o cara precisa fazer um jogo, se mostrar interessado e depois indiferente, encantado e depois acostumado. Eu até li um artigo de um psicólogo que afirmou que intermitência é a qualidade que mais dá durabilidade aos relacionamentos!!!

Então, garotinhos e garotinhas, a palavra do dia é: IN-TER-MI-TÊN-CIA. Dá um pouquinho, tira um pouquinho. Aparece um pouquinho, some um pouquinho. Mima um pouquinho, gela um pouquinho. E o pior, gente, o pioor, é que as mulheres parecem adorar isso no estágio da paquera! Elas – leiam pausadamente para dar o efeito das etapas - esbarram em alguém na night (pausa), gostam da aparência física dele (pausa), trocam algumas idéias com ele (pausa), dão seus números de te-le-fo-ne (pausa), MAAAAAAS, AIIINDA ASSIIIM (pausa como se olhasse meio de lado para um público masculino atônito), “broxam” quando o cara liga logo no dia seguinte, quando eles ligam mais de uma vez ao dia, se eles demonstram interesse em namorar cedo demais, se eles acham normal conhecer seus pais depois de apenas uma semana de “rolo”, “ficada”, “pegação”.

Em um resumo bem didático: as mulheres, no estágio de sedução, querem um Dom Juan, alguém cobiçado, mulherengo até. Alguém que as faça sentir como se estivessem “arrancando” um produto valioso do mercado da paquera, a contra gosto das outras concorrentes. MAS, no minuto em que a paquera se fortalece e demonstra possibilidades de se tornar algo mais sério, elas passam a ESPERAR que aquele mesmo Dom Juan, o mesmo cobiçado, o mesmo galinha, aquele produto desejado pelas outras mulheres, se transforme MAGICAMENTE num rapaz tranqüilo, apaixonado, casadoiro, com cara de futuro papai, que queira conhecer a sogrinha, ir ao cinema todo domingo, largar o futebol de quarta com os amigos, parar de olhar para bundas na rua, enfim, pronto para amá-la e ser feliz ao seu lado para sempre.

Sacou, agora, porque é que tem tanta mulher solteira reclamando dos homens?

Eu entendo que tem homem demaaais indo para o outro lado da Força, ou seja, interessado num espadão a laser. Eu também entendo que tem homem demaaais que de tão chatos, tão burros e tão nojentos não possam ser considerados parte relevante do mercado da paquera. E, finalmente, eu entendo que o fato de a quantidade de mulheres exceder a quantidade de homens não é, nem há quilômetros de distância, um fator de motivação.

Mas eu acredito que se as mulheres dedicassem a sua atenção àqueles homens meio tímidos, meio fora do padrão estético (mas não tãão fora, é claro! Ninguém quer namorar alguém que foi a placenta e não o feto na barriga da mãe!), que andam meio escondidos por aí, elas veriam que existem homens que querem conhecer alguém de verdade, se apaixonar de verdade e namorar de verdade. Basta se abrir um pouco mais àquelas possibilidades que, com base em um critério na maioria das vezes fútil, você descartaria sem pensar uma segunda vez.

Então, mais uma vez, é isso. Não sei como cheguei a essa conclusão. Só sei que foi assim...

AH! Só para concluir, vamos lembrar que eu não estou vendendo nenhuma fórmula para namoro, viu? Não vai pegar um cara qualquer só porque ele senta no fundo da sala, não fala com ninguém e tem aparência estranha achando que ele pode ser seu futuro namorado! Às vezes o que o rapaz esconde não é seu lado casadoiro e, sim, o psicótico!

5 comentários:

Anônimo disse...

hahaha... adorei! É exatamente isso, uma eterna contradição entre querer o indisponível, mas que o mesmo seja completamente disponível quando fica sério.
Beijos,
Nina.

Anônimo disse...

Muito Bom Lu!!! Isso é que inspiração...e sensibilidade!!
Bjos,
Cissa

Anônimo disse...

Loise,
Tá maravilhoso o artigo!!!!
AMEI!!!
Parabéns!
Beijo,
M. Pri.

Anônimo disse...

Gostei Luiza, mandou bem mesmo! Faz todo o sentido e coerencia isso q vc falou e muitos de nos homens sabem disso. O lance é que quando vc acha uma garota que realmente te interessa no meio de tanto aventura, vc esquece tudo e acaba ficando bobo, esquece como agir e age por impulso, e isso é difissílimo de se controlar. É isso, homem apaixonadado fica bobo... As minas (principalmente as aqui de bsb) bem que podiam ser mais um pouquinho compreensivas e pagar mais leve, dar uma chance. concorda? bjão t+
Saulo

jakob325kaitlynn disse...

damn good blog, check out mine http://juicyfruiter.blogspot.com, comments always welcome!