maio 17, 2005

A hospitalidade, a revolta.

Brasília se transformou na grande anfitriã. É a cidade hostess. Todo mundo, aparentemente, quer vir pra cá. E todos que querem vir para cá estão sendo devidamente incentivados a fazê-lo, e devidamente recompensados também.

Os árabes, por exemplo. Tiveram uma mega-estrutura à sua disposição. Os melhores hotéis, as melhores refeições, os melhores tradutores. Fala sério, até o exército se prontificou a servir nossos colegas árabes. As garotas de programa também! Enfim, todos queriam servir bem os priminhos de Osama.

O engraçado é que esses primos de segundo ou terceiro grau da Al Quaeda não estavam se sentindo tão seguros com relação à Brasília. Pois é, ELES têm os parentes terroristas, mas NÓS é que temos que prover a segurança deles! Ninguém quer saber se criancinhas brasileiras estão andando nas ruas ao lado do arame farpado e dos fuzis do exército. O importante é: assegurar a integridade física, a pontualidade, a alimentação e o repouso dos visitantes árabes para que eles possam fazer vários acordos lucrativos com a porra dos visitantes...ARGENTINOS!!!!

E foda-se se eu não consigo chegar ao trabalho porque o Eixo Monumental está fechado ou porque simplesmente os horários dos ônibus estão uma bagunça!! O meu dever é dar um jeito de chegar ao trabalho, para que, assim, eu possa ganhar um salário tão baixo que vigiar carro vira atividade com maior lucro mensal.

Só que parte deste salário serve a um oooooutro propósito. Claro, parte do MEU dinheiro se destina a receber os próximos visitantes desta cidade tãããão hospitaleira! Os visitantes? Aqueles simpáticos Sem-Terra!!! Tão bonzinhos, vítimas da má-distribuição de terras. Eu não. Tive a sorte de crescer numa cidade onde tem espaço para toooodo mundo. Aliás, lote aqui é o que não falta, né?! Mas, pensando bem, acho que vários assentamentos de sem-terra já foram regularizados, né? E também acabaram concedendo áreas inteiras para eles, né de novo? Ah, tá. Então, o que está acontecendo?

...crrri...crrri...pausa para análise...crri...crri

Já sei! O movimento dos Sem-Terra não é mais um movimento criado para exercer pressão política e, conseqüentemente, viabilizar as devidas divisão e exploração da terra pelo homem do campo!! ÉÉÉÉÉ! Sem-Terra agora é categoria pro-fis-sio-naaal!! É o mais novo e crescente mercado de trabalho!! Direito, REL e Medicina são cursos universitários do passado!!! Afinal, o governo tem dado a esses profissionais da manifestação inútil todo o dinheiro que recusou aos servidores públicos!!!!

E Brasília cumpre seu papel para incentivar essa nova profissão! É verba federal, hospedagem, água, comida...tudo para viabilizar aqueeela sentada no banquinho! A esticada daqueeeela lona preta. A montagem daqueeeeela cara de coitado! E eu, de novo, levo duas horas para chegar ao trabalho porque as ruas estão travadas pelos manifestantes e eles, é claro, não andam de ônibus como eu!!!
Ai, ai. Quem me mandou escolher a profissão errada?!

Um comentário:

Caligus disse...

A hospitalidade do Brasil é famosa internacionalmente. Nosso governo é uma vergonha. Os movimentos políticos são brincadeiras finaciadas pelo governo. Uma grande palhaçada teatral. O governo não faz nada que não seja pra favorecer os políticos e seus esqueminhas teatrais. Eles tem sorte que minha insanidade não chega tão longe a ponto de fundar o movimento terrorista brasileiro. Imagine que lindo. Sequestrar 50 senadores e matar um por dia até baixarem os impostos!! hahahaha


bjs Luisa